Quais são os transtornos ansiosos mais comuns?

Em saúde mental considera-se que são seis os transtornos ansiosos mais comuns, porém, sabe-se que mais de um pode contribuir simultaneamente para angústia do paciente – a comorbidade. São eles a síndrome do pânico, distúrbio de ansiedade generalizada, fobia social, fobia específica, transtorno de estresse pós-traumático e transtorno obsessivo compulsivo.

Na síndrome do pânico, estado em que o paciente experimenta frequentes e inesperados ataques de pânico, levando à sintomas intensos e específicos como taquicardia, diminuição do foco visual, dificuldade para respirar, irrealidade, entre outros. 

O transtorno de ansiedade generalizada mantém o paciente constantemente preocupado com os diversos momentos da vida. Sejam eles positivos ou negativos, grandes ou pequenos. Com isso, a pessoa com ansiedade apresenta sintomas como irritabilidade, inquietação, dificuldade de se concentrar, humor deprimido e fadiga.

Na fobia social, a ansiedade é direcionada para algumas situações específicas, tais como se expor em público, situações em que a interação social é necessária. Até mesmo o medo de perceberem seu nervosismo diante destas e outras situações, ajuda a completar o ciclo da doença. Com o tempo, o indivíduo passa a evitar situações como essas, chegando a perder oportunidades importantes  tanto afetivas quanto profissionais.

A fobia específica ou fobia simples – como agorafobia, por exemplo -, é verificada quando um medo irracional e incontrolável invade da pessoa por conta de um objeto ou uma situação. A pessoa que experimenta alguma fobia pode culminar em ataque de pânico quando submetido ao objeto, ser ou situação de gatilho.

O transtorno obsessivo compulsivo, ou apenas TOC, trata-se do estado de obsessão relacionada a um pensamentos, ideias ou imagens que invadem involuntariamente a consciência do indivíduo: “Será que eu tranquei a porta?”, “Qual foi a última vez que lavei as mãos?”, “Preciso voltar para ver se desliguei o gás!”. A sensação é tão intensa que, para aliviar a ansiedade causada pela repetição, se entrega à compulsão de cometer o ato, como levantar-se da cama inúmeras vezes e todas as noites para checar o gás no andar de baixo.

O transtorno de estresse pós-traumático corresponde a ansiedade causada por um ou mais eventos traumáticos ocorridos. Geralmente, o transtorno de estresse pós-traumático surge em vítimas de violência extrema na fase de desenvolvimento, ou seja, na infância. Mesmo que a ansiedade pareça se diluir logo após o incidente, os sintomas permanecem por mais tempo ou reaparecem após um longo período, levando a pessoa ao estado de pós-trauma. O Transtorno de Estresse Pós-traumático é classificado em três grupos mais comuns: reexperiência traumática; hiperexcitação ou hipoexcitação psíquica; e esquiva e distanciamento social.

Artigos relacionados