Depressão Infantil

Depressão Infantil

De modo geral, os quadros psicológicos se expressam de forma peculiar em cada etapa da vida. Na infância, por exemplo, é um momento onde o indivíduo carece do amadurecimento para nomear suas próprias emoções, dependendo portanto, do adulto para ajudar a dar significado para cada sensação. Sobre como é sentir-se ansioso, triste, angustiado etc. Devido à falta de meios de expressão, a criança acaba por somatizar a angústia, queixando-se de problemas físicos e orgânicos, como dor de cabeça, indisposição e por aí vai.

É natural que a criança viva uma constante de descobertas, explorando o ambiente, buscando coisas novas, sempre em atividade. No entanto, ao se sentir insegura demais e com receio de ficar muito tempo longe dos pais ou cuidadores, é possível que a criança tenha desenvolvido um quadro de depressão ainda quando criança.

Geralmente, a depressão infantil está relacionada aos sentimentos de luta, perda, separação dos pais, dificuldade de adaptação às constantes mudanças, por vezes de escola e moradia. Mesmo assim, na maioria dos casos existe um forte componente genético, principalmente nas crianças. Crescer é algo doloroso, mas ainda que desconfortável é superável e deve ser maior que o medo da mudança, quando finalmente passamos para outra fase da vida. No caso da criança que se encontra em num quadro depressivo, muitas vezes, ao invés de tentar e reconhecer a atmosfera ao seu redor, vai desistido das pequenas e grandes descobertas, se fechando e afunilando cada vez mais suas atividades.

Há pouco mais de 20 anos, as crianças com depressão eram consideradas portadoras de fobias, como transtornos comportamentais e ansiedade de separação. Desde então, a doença foi reconhecida, visto que embora se expresse diferentemente nos adultos, a depressão existe da mesma forma em crianças. Com isso, elas deixam de aprender numa etapa muito importante do desenvolvimento do indivíduo. Sofrem de perda do interesse, falta de iniciativa, alterações do apetite e sono, pouca atividade física, medo em demasia e persistente, entre outros.

Artigos relacionados